“Primeiro está a miúda e depois estamos nós”

“O divórcio custou-lhe muito. “É sempre complicado”, diz José. Com filhos, pior ainda. “É uma dor enorme.” A menina tinha cinco anos. Ficou a morar com a mãe. Fizeram um acordo típico – fins-de-semana alternados, férias repartidas, natais repartidos, passagens de ano repartidas. Aos 13 anos, deixou de querer ver o pai.”

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/primeiro-esta-a-miuda-e-depois-estamos-nos-1701044

Autor; Ana Cristina Pereira Jornal Público

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.